Governo de Porto Ferreira é destaque no Jornal do Interior, da Uvesp

Gabinete
    07 de dezembro

A última edição do Jornal do Interior da Uvesp (União dos Vereadores do Estado de São Paulo) trouxe uma reportagem de página inteira sobre o atual governo de Porto Ferreira.

Com o título “Inovação e vocação empreendedora”, a matéria destaca que os pilares da administração ferreirense são a “gestão inovadora, eficiente, enxuta e participativa”. Nas fotos que ilustram, o prefeito Rômulo Rippa aparece vistoriando obras de asfaltamento do Jardim Centenário e recebendo do presidente da República, Michel Temer, a lei que concedeu o título ao município de Capital da Cerâmica Artística e da Decoração.

O Jornal do Interior é distribuído em todos os 645 municípios do Estado de São Paulo. A Uvesp completou 40 anos de fundação e é presidida por Sebastião Misiara, que recentemente esteve em Porto Ferreira no Seminário Estadual Alternativas de Desenvolvimento.

Leia a íntegra da reportagem:

Gestão inovadora, eficiente, enxuta e participativa. Estes são os pilares do governo do prefeito Rômulo Rippa (PSD) no município de Porto Ferreira, da região central do Estado. Caminhando para o encerramento do primeiro ano de governo, é notável a mudança na maneira de conduzir a prefeitura do município, que agora ostenta oficialmente o título de Capital Nacional da Cerâmica Artística e da Decoração, após a sanção de lei federal pelo presidente Michel Temer (PMDB), no último dia 16 de outubro, em Brasília.

Muito desta nova mentalidade de administrar a máquina pública tem a ver com a própria formação de Rippa. Ele é administrador público formado pela Universidade Júlio de Mesquita Filho (Unesp) de Araraquara (SP), e mestrando na Unicamp, campus de Limeira (SP), onde é pesquisador na área de Modernidade e Políticas Públicas.

Foi eleito o vereador mais jovem da história de Porto Ferreira, aos 19 anos, em 2008. Depois de dois mandatos na Câmara, nos quais se notabilizou pela intensa fiscalização exercida sobre o Poder Executivo, disputou em 2016 a prefeitura contra os dois políticos que haviam ocupado a cadeira de prefeito enquanto era vereador e conquistou uma vitória cujo simbolismo foi claro: a população queria o novo.

Empossado também como o mais jovem prefeito da história da cidade, Rômulo Rippa já tomou medidas de impacto nos primeiros dias de governo. Primeiro, montou uma equipe em que privilegiou o aspecto técnico dos ocupantes de cargos de primeiro e segundo escalões, em detrimento de cargos meramente políticos.

Logo nos primeiros dias de governo decretou a suspensão temporária de pagamentos de dívidas por 90 dias e montou uma comissão para rever contratos e obrigações. Afinal, assumiu uma dívida de curto prazo de R$ 24,2 milhões e uma dívida de longo prazo de R$ 18,6 milhões, para um orçamento anual de aproximadamente R$ 160 milhões. Os gastos com pessoal no último quadrimestre de 2016 também ficaram acima do limite prudencial admitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Decretou ainda medidas de austeridade, como o corte de despesas operacionais e de custeio da máquina pública (horas extras, viagens, diárias, energia, combustíveis, água, telefone etc.) na casa de 20%. Entretanto, sem afetar a prestação de serviços à população. Houve ainda uma reestruturação administrativa, que incluiu a diminuição e fusão de órgãos, além da extinção de 100 cargos comissionados.

Após o primeiro quadrimestre do ano, os resultados destas ações já eram sentidos. A folha de pagamento baixou ao limite prudencial – uma redução de R$ 165 mil ao mês –; a dívida de curto prazo caiu para R$ 6 milhões; a arrecadação cresceu 7,8% devido a medidas de fiscalização adotadas (aumento de 71% em autuações); as horas-extras de servidores foram reduzidas em 54%. Todo esse esforço permitiu ao governo contratar no segundo quadrimestre mais de 100 novos servidores concursados, principalmente para a área da Saúde, e retomar os investimentos em diversas obras de infraestrutura.

Na área de gestão, foram criadas a Controladoria Geral e a Ouvidoria do município. São órgãos de controle interno e externo, cujo objetivo é fiscalizar o andamento da máquina administrativa e aprimorar os serviços oferecidos à população.

Inovação

Além das áreas financeira e de gestão, outro ponto de destaque do governo de Rômulo Rippa é o trabalho para alavancar o desenvolvimento econômico do município. Em parceria com a Associação Comercial e Empresarial do município, o Sindicato das Cerâmicas (Sindicer) e o Sebrae, diversas ações estão sendo realizadas para que os empreendedores locais possam crescer cada vez mais e difundir o município como a Capital Nacional da Cerâmica Artística e da Decoração.

Uma dessas ações é a criação do Plano Diretor de Turismo e a inclusão de Porto Ferreira como Município de Interesse Turístico (MIT). Os projetos para o incremento do turismo de negócios geraram um fato inédito, que foi o envolvimento dos empresários locais e das entidades representativas junto com a Prefeitura na realização dessas ações. Com os setores econômicos unidos, muito se tem avançado. Até um aplicativo para celulares com um guia da cidade foi lançado, além de uma versão impressa que é distribuída em pontos estratégicos do comércio local e regional.

Outro ponto a se destacar foi a criação da Casa do Empreendedor, inaugurada em outubro, num amplo prédio que funcionará como uma espécie de agência de desenvolvimento local. Ali se concentrarão diversos serviços, como o Banco do Povo Paulista, o Sebrae Aqui, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o CIEE (Centro de Integração Empresa Escola), uma Central de Capacitações e, em breve, um escritório regional da Jucesp.

Ainda na área de planejamento, está sendo feita a revisão do Plano Diretor do município e sendo criados o Plano de Mobilidade Urbana e o Plano de Metas do Programa Cidades Sustentáveis. Todas essas ações são realizadas com a participação de órgãos governamentais e representantes da sociedade civil organizada, por meio de audiências públicas.

“Em tempos de escassez de recursos financeiros, era fundamental agirmos com austeridade e criatividade. Logo de início priorizamos o enxugamento da máquina pública. A ideia é simples: gastar menos com a prefeitura e mais com a população, em melhores serviços. Por outro lado, traçamos e estamos cumprindo um planejamento bem definido na área de desenvolvimento econômico, explorando de forma organizada as nossas potencialidades”, concluiu Rômulo Rippa.

Cléber Fabbri – MTb 30.118

Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos

clique na foto para ampliar
/* */ /* */